A Sua Credibilidade Online Está em Risco?

Nunca foi tão fácil dar-se a conhecer e ser conhecido pelo mundo, quer em termos pessoais quer em termos profissionais. A Internet trouxe a nós a possibilidade de nos divulgarmos de forma extremamente fácil e grátis.

De acordo com o Internet World Stats, até 31 de Dezembro de 2011, 500.7 milhões de europeus, 1016.8 milhões de asiáticos e 273.1 milhões de americanos tinham acesso à Internet. Esta amostra significa que sensivelmente 1/3 da população mundial (a estes números ainda resta somar o número de utilizadores da América do Sul, África e Oceania) tem a possibilidade de o conhecer e de saber coisas sobre si.

Se estes dados são bastante positivos para quem está interessado em promover-se, a qualidade da informação ou a forma como esta é exposta talvez possa deitar por terra todas as expectativas que possa ter. A promoção efectiva tem que ser ponderada e dotada de uma certa credibilidade que a torna útil para quem a consulta, porém, na maioria das vezes, mais rapidamente nos desacreditamos do que construímos um império sobre as nossas qualidades. O que pode matar a sua credibilidade online? Aqui ficam umas ideias.

1. Website pessoal/profissional

Um mau website é aquele que é profissionalmente fraco, ou seja, que tem ligações que vão dar a um beco sem saída (o típico erro 404 Page not Found), um português a aproximar-se do checo-turco com péssima gramática e linguística, um design de trazer lágrimas aos olhos, com cores berrantes, cores dispares, navegação complexa e pouco funcional para o utilizador, etc.

Esta má promoção aplica-se tanto a websites pessoais, como por exemplo os fantásticos curriculum vitae electrónicos, bem como a websites empresariais e/ou de pequeno negócio. Se está a tentar vender-se ou vender um produto, tente tudo menos matar a sua credibilidade online com escolhas pouco ortodoxas para o utilizador.

2. Perfil de LinkedIn

O LinkedIn candidata-se a ser o alvo preferido de quem quer encontrar pessoas com valor. Esta base de dados enorme é perita em fornecer dados profissionais sobre si a quem os procurar. A questão essencial é que essa base de dados não se constrói sozinha e terá que ser você a inserir a informação que quer divulgar ao mundo.

O seu perfil no LinkedIn é a primeira paragem de quem quer verificar a sua credibilidade e as suas capacidades. Para ter uma boa credibilidade, o seu perfil deverá apresentá-lo da forma mais clara possível, preenchendo toda a informação possível e de forma exacta.

Muitas pessoas não sabem minimamente as potencialidades de uma plataforma como o LinkedIn, que permite incluir apresentações, vídeos, etc., ou seja, não tiram total partido de todos os serviços que lhe são fornecidos. É essencial especificar a sua informação de forma exacta e gramaticalmente correcta.

3. Blog

Novamente o assunto “Blog”. A verdade é que quase toda a gente dá inicio a um blog, que é divulgado e posteriormente…abandonado. O problema? Você divulgou o blog, você associou o blog à sua pessoa e você abandonou o blog. Esta sequência de acções irá ficar entranhada à sua imagem online e pior, o blog continua disponível para o mundo, com um post de “Benfica campeão” quando na verdade este ano foi um “Porto campeão”.

Será mais vantajoso desactivar o blog do que deixá-lo exposto aos olhos dos outros, que a qualquer altura poderão interessar-se em desbravar todo o seu histórico de cibernauta. Outro assassino de credibilidade online.

4. Página oficial no Facebook

Se tem um negócio ou uma empresa, se divulga o seu negócio ou a sua empresa e traz um crachá ao peito com o logo da mesma mentalize-se: tem que ter uma página oficial no Facebook. Deixe morrer a ideia de que o Facebook é meramente uma rede social; o Facebook deixou de ser apenas uma rede social a partir do momento que grande parte da divulgação, conversação e dados estatísticos é feito e retirado a partir deste.

O Facebook não é só para jovens adolescentes que não têm mais nada que fazer, nem para pessoas que não têm capacidade de desenvolver relacionados ao vivo. Essa ideia é falsa e está a aniquilar a sua credibilidade online. O Facebook tem poder e é influente e se tem um negócio, um produto ou um serviço e não tem uma página  de Facebook específica para o que fornece, então a sua credibilidade online está prestes a morrer.

E não chega ter uma página. Tem que dotar a sua página com um design apropriado para o seu público mas que ao mesmo tempo não pareça a ida para um velório; não se esqueça que está num ambiente descontraído e de entretenimento.

O mesmo se aplica ao Twitter, um local extremamente importante e eficiente no que toca a divulgação.

5. Comportamento pouco profissional.

Este último ponto pode reflectir-se de várias formas. Pode ser um post menos apropriado no seu blog, um tweet ofensivo que irá vestir uma carapuça a uns quantos seguidores, lavagem de roupa em praça pública, etc.

Evite este comportamento, mesmo que tenha razão. O público actua como um juíz mas sem conhecimento de todos os factos e muito facilmente farão o julgamento pela sua atitude e não pelas suas razões.

————————————————————————————————————————————————

Hugo Sousa @
Linkedin
Twitter
Facebook

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: