6 Aspectos (Aconselhados por 4 Fundadores) Que Todos os Jovens Empreendedores Devem Ter em Mente

Se está a pensar em tornar-se o mais recente empreendedor com a sua ideia brilhante ou se já se encontra em plena acção e cada dia que passa ganha mais esperança no sucesso do seu negócio, então está no sítio certo.

O Jovem Empreendedor lançou um desafio a fundadores de start-ups nacionais que se mostraram repletos de energia e disponíveis para ajudar. Desde já os mais sinceros agradecimentos a todos eles pela fantástica colaboração.

Desta vez o desafio foi lançado a Marco de Abreu (Fundador do João Sem Medo Center, Safira e Darwin-Ecosystem), Miguel Pina Martins (Fundador da Science4You), João Lopes Martins (fundador da Much Beta) e Suzy Vasconcelos, Diana Almeida e Roberto Ugo (fundadores da aroundKnowledge), e o Jovem Empreendedor pediu a cada um que deixasse um conselho que considerassem importante e que todo o jovem empreendedor deveria saber.

Como já sabe, uma ideia sem a respectiva acção não tem qualquer valor. Porém, há outros aspectos que quando em conjunto com a acção podem ajudá-lo a trilhar o caminho do sucesso e a atingir os seu objectivo.

1º Conselho: “Estar numa comunidade de empreendedores, de pessoas como ele, que estejam disponíveis para partilhar, para colaborar, para ouvir, para ajudar, para estar lá.“, Marco de Abreu – João Sem MedoSafira e Darwin-Ecosystem

Quando questionado sobre o porquê deste conselho, o fundador do João Sem Medo justificou dizendo que

O acto de empreender é solitário e tem muitos momentos em que fraquejamos, em que vamos abaixo. Estar numa comunidade onde os outros nos entendem dá-nos suporte e energia para vencer os muros mais complicados, os que somos nós a erger, i.e., que resultam da forma como cada um de nós vê o mundo.

2º Conselho: “O conselho que posso dar a todos os jovens deste país é que acreditem. Acreditem que é possível concretizar os seus projectos, independentemente de todos os obstáculos com que se possam deparar. Cada vez mais necessitamos de ideias frescas e inovadoras que rompam com todos os parâmetros do que se conhece e já foi feito. E acreditar é o primeiro passo para essa mesma concretização.”, Miguel Pina Martins – Science4You

Porquê? O fundador da Science4You também acreditou.

Porque eu também acreditei no projecto Science4you desde o primeiro minuto. Acreditei no potencial da minha ideia e fiz tudo o que estava ao meu alcance para que o sonho se concretizasse e alcançasse a dimensão que hoje tem, e que eu sempre acreditei que seria possível ter.

3º Conselho: “Definir mínimo essencial para ter um “produto”. Executar rápido e testar junto do mercado.”, João Lopes Martins – Much Beta

João Martins, da Much Beta, argumenta

Não percas tempo em algo que pode ser uma ilusão tua. Delimita rapidamente o que queres entregar. Executa o mínimo essencial (tira o que não é crítico) e dá a conhecer a potenciais utilizadores ou clientes.

4º Conselho: “Criar uma empresa, só mesmo quando tiver que ser.”, João Lopes Martins – Much Beta

Muitas vezes começa-se por criar uma empresa. A maior parte das vezes isso nem é necessário nesse momento. O foco deve estar no produto, se este tiver mercado a empresa aparecerá. Com a empresa vêm responsabilidades, a única coisa certa são custos e prestações sociais.

5º Conselho: “Resolve uma necessidade efectiva, preferencialmente em qualquer parte do mundo., João Lopes Martins – Much Beta

As necessidades são pessoais mas o mercado deve ser global.

6º Conselho: “Para ser um empreendedor tem que se ter alma de sofredor e espirito aventureiro. Não penso que se consiga dar apenas um conselho, porque cada percurso é diferente. Pelo caminho, os empreendedores vão ouvir muitas vezes que têm que saber vender a ideia, que têm que manter o foco no seu projecto, que têm que ser persistentes, entre muitas outras frases que possam parecer clichés, mas na realidade são todas verdade e irão fazer sentido durante o percurso de um promotor. Mas na nossa opinião, o essencial é não ter medo de falhar.”, Suzy Vasconcelos, Diana Almeida e Roberto Ugo – aroundKnowledge

Os três fundadores da aroundKnowledge justificam o seu conselho:

A preocupação com um possível fracasso consome demasiados esforços e o tempo é demasiado precioso para ser perdido com medos infundados, porque os falhanços também ajudam a crescer e criam bases para o empreendedor tornar o seu projecto cada vez mais forte. O estigma de falhar é demasiado pesado na sociedade portuguesa, enquanto que noutros panoramas os empreendedores com mais falhas são considerados os mais experientes e com mais hipóteses de sucesso uma vez que não irão cometer os mesmos erros. E não existe projecto que não tenha os seus contratempos, o que interessa é a vontade em vencer e seguir em frente.

Depois destes conselhos, se não tinha razões para avançar com o seu futuro e deixar o medo de falhar de lado, então comece a pensar duas vezes e a trabalhar sobre as ideias que estes jovens de sucesso lhe dão. A experiência poderá ser um trunfo a seu favor, mas só a conseguirá ganhar se não deixar para amanhã o que pode fazer hoje.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: