5 Técnicas Linguísticas Que Tornam o Discurso Persuasivo e Envolvente

Tal como referido em 3 Obstáculos Para o Desenvolvimento de Qualidades, o livro “Poder”, e o nome diz tudo, é uma Bíblia sobre a arte de adquirir e manter o dito cujo. Jeffrey Pfeffer reúne em 236 páginas algumas possibilidades que permitem um comportamento de poder, desde as qualidades pessoais que atraem a influência, destacar-se e quebrar algumas regras, criação de recursos, construir redes sociais eficientes e eficazes, agir e falar com poder, entre outras.

O capitulo “Agir e falar com poder” chamou-me particularmente à atenção, especialmente o sub-capitulo “Falar poderosamente”. Segundo o autor, “a linguagem usada e a forma como se constroem apresentações e argumentos ajudam a determinar o poder.”

Algures no seu discurso, o autor sugere cinco técnicas linguísticas, criadas por Max Atkinson, sociólogo e analista de conversação, que tornam o discurso mais persuasivo e envolvente e que passo a disponibilizar-lhe para começar a utilizá-las desde hoje.

1. Use referências nós-contra-eles. “É bem sabido que a necessidade de resistir a uma ameaça externa, seja ela real ou imaginária, tem sido desde sempre um grito mobilizador extremamente eficaz no que toca ao reforço da solidariedade de grupo.”

2. Faça uma pausa enfática e solicite a provação ou mesmo aplausos por via de uma breve demora. “Uma pausa mesmo antes de chegar à conclusão e um final ligeiramente prolongado são características comuns à maioria das claptraps [um artifício retórico destinado a gerar aplausos e aprovação].”

3. Use uma lista de três pontos, ou enumerações em geral. “Uma das principais atracções das listas em três partes é que têm um ar de unidade e de estar completas.” As listas fazem um orador parecer que pensou sobre o assunto e as respectivas alternativas, e que considerou exaustivamente todos os ângulos.

4. Use pares contrastantes, comparando uma coisa a outra e recorrendo a passagens semelhantes em métrica e em estrutura gramatical. O contraste é estrategicamente escolhido para marcar uma posição.

5. Evitar usar guião ou apontamentos. Se falar sem ajudas, fica implícito que domina o assunto e é mais espontâneo. Além disso, não usar notas ou um guião permite ao orador manter contacto visual com a audiência. “se não consegue falar cinco minutos sem um apontamento à sua frente, sobre um assunto que conhece bem, não está a fazer nada no seu emprego”.

À lista acima criada por Atkinson, Jeffrey Pfeffer acrescenta uma sugestão importante e que, na minha opinião, faz todo o sentido.

use o humor na medida do possível e sempre que apropriado. Como o romancista Salman Rushdie observou num programa de rádio: “Se fizer as pessoas rir, pode dizer-lhes tudo.”… Quando Ronald Reagan concorreu à reeleição em 1984, contra o senador do Minnesota Walter Mondale, ele era a pessoa mais velha a concorrer, desde sempre, numa eleição presidencial. Durante um dos debates presidenciais, perguntaram a Reagan se ele pensava que a idade seria um tema na campanha. Reagan respondeu, com um sorriso, que ele não faria caso da juventude e inexperiência do adversário. Todos se riram quando Reagan usou o humor para desarmar um assunto potencialmente problemático e transformar uma preocupação série num assunto para rir.

One comment

  1. Pingback: 9 Formas Para Que as Pessoas Façam o Que Você Quer [Infográfico] « Jovem Empreendedor

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: